O coronel Rolando de Carvalho Tomaz Ferreira, um dos denominados "capitães de Abril", morreu esta terça-feira aos 87 anos, devido a doença, informou o coronel Vasco Lourenço.

O presidente da Associação 25 de Abril, em comunicado, lamentou a perda de "mais um dos pais da liberdade e da democracia" e um "grande amigo".

Segundo a nota de Vasco Lourenço, Tomaz Ferreira, nascido em 03 de maio de 1931, foi um "militar de Abril de todas as horas", um "dos principais elementos do Movimento dos Capitães no norte de Portugal, aí desenvolvendo forte atividade conspirativa".

"Depois da libertação dos portugueses, Tomaz Ferreira continuaria a ser um dos principais elementos do Movimento das Forças Armadas no norte do país, desempenhando importante papel na ação que permitiu a consolidação da liberdade e da democracia", tendo, "em 1982, aquando da fundação da Associação 25 de Abril", sido o presidente da comissão instaladora da instituição na região norte e sendo eleito presidente da Mesa da Assembleia Geral da mesma.

O velório do corpo do "capitão de Abril" será realizado na igreja da Misericórdia de Penafiel, hoje, a partir das 18h00, e o funeral parte quarta-feira, às 16h00, para o cemitério de Penafiel.

Nascido em Penafiel a 31 de Maio de 1931, Tomaz Ferreira realizou os seus estudos na Escola do Exército, em Lisboa. Como militar de carreira, na arma de Artilharia, fez parte de um dos primeiros contingentes a partir para Angola, três meses após o assalto às prisões de Luanda, que em Fevereiro de 1961 constituíram o pretexto para o início da Guerra Colonial. Esteve em todas as frentes do conflito: Angola, Moçambique e Guiné-Bissau.

Rolando Tomaz Ferreira assumiu um papel-chave no derrube da Ditadura. Participou em várias reuniões preparatórias, tendo estado, assim, envolvido nos planos de preparação do golpe que, na madrugada de 25 de Abril de 1974, mudou o curso da história de Portugal.

Passaria à reserva com o posto de coronel e, em 1982, foi presidente da Comissão Instaladora da delegação do Porto da Associação 25 de Abril.

Tendo, desde então, residido sempre na sua cidade natal, Rolando Tomaz Ferreira permaneceu ligado quer às atividades desta associação quer ainda à vida cultural penafidelense, participando em diversos grupos temáticos deste âmbito.