A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) detetou a venda, num operador grossista, de cerca de 2.000 unidades de azeite que apresentavam a categoria “Virgem Extra” na denominação de venda, mas continham mistura de azeite refinado.

A operação da ASAE, hoje divulgada em comunicado, foi conduzida pela Unidade Nacional de Informações e de Investigação Criminal nas localidades de Guimarães, Sintra e Faro.

No total, precisa, foram apreendidas cerca de 2.000 garrafas de azeite, correspondendo a 1.500 litros de produto, num valor aproximado de 5.200 euros.

O produto em causa, estava rotulado como “Virgem Extra”, ou seja, azeite de categoria superior obtido diretamente de azeitonas, unicamente por processos mecânicos, mas na sua composição foi detetada a existência de azeite refinado.

Segundo a ASAE, trata-se assim de uma prática “fraudulenta” e que induzia o consumidor final em erro quanto à qualidade do produto, as suas reais características e o seu valor comercial.

No âmbito desta operação, a ASAE fez uma intervenção simultânea a nível nacional, nas localidades de Guimarães, Sintra e Faro, no sentido de detetar e retirar do circuito comercial as embalagens deste produto”, refere.