O Tribunal de Loulé decidiu-se pela não suspensão as portagens na Via do Infante.

Foram recusados os argumentos dos utentes da A22 para accionar a providência cautelar sobre o pagamento de portagens na ex.SCUT.

O pedido de suspensão tinha como base o facto da nova tributação não ter passado pela Assembleia, a não adequação da Via do Infante às características de uma auto-estrada e a ausência de alternativas.

A introdução de portagens na A22 tem sido a mais contestada pelos utentes.
Redação / CF