O Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla original) e o Departamento de Estado dos Estados Unidos emitiram esta segunda-feira avisos em relação às viagens para Portugal, Espanha, Chipre e Quirguistão. Em causa está a taxa de crescimento da infeção por covid-19.

O país entra assim para a categoria quatro na escala de risco, ficando classificada uma viagem para Portugal como "muito arriscada", sendo que o atual aconselhamento de deslocação dos Estados Unidos para território nacional simples: "Não viajem".

O mesmo acontece com Espanha, país que estava a ser um destino popular para os norte-americanos, até porque abriu a fronteira àquele país recentemente, em junho.

Ainda assim, caso as pessoas tenham mesmo necessidade de efetuar a viagem, pede o CDC de que se assegurem que estão "completamente vacinadas", o que nos Estados Unidos é uma realidade para a grande maioria dos adultos que tenham intenção de se inocular.

Em causa está sobretudo o aumento de casos, mas também a prevalência da variante Delta, ao início descoberta na Índia, mas que é já prevalente nestes países, sendo responsável por cerca de 95% das infeções registadas atualmente em Portugal.

Apesar do inicial sucesso na vacinação contra a covid-19, os Estados Unidos têm enfrentado recentemente alguma resistência de negacionistas, o que está a levar a uma quebra da taxa de vacinação, o que já motivou o presidente a dizer que está preocupado com a situação.

Com efeito, em muitos estados têm sido dados inúmeros incentivos para que a população adira à vacinação, numa altura em que o número de casos volta a crescer de forma sustentada.

Mesmo tendo em conta a vacinação, os Estados Unidos são ainda, em larga escala, o país com mais casos e mortes por covid-19. Ao todo foram mais de 34 milhões de casos, os quais resultaram em mais de 610 mil vítimas mortais.

António Guimarães