A GNR apreendeu, no domingo, 1.180 quilogramas de caranguejos vivos na zona de Valença do Minho, em Viana do Castelo, que depois devolveu ao seu "habitat natural", anunciou, esta segunda-feira, a Unidade de Controlo Costeiro daquela força policial.

Durante uma ação de fiscalização rodoviária para verificar o "transporte de pescado fresco e moluscos bivalves", os militares do Destacamento de Controlo Costeiro de Matosinhos da GNR intercetaram uma viatura que transportava 59 sacos de caranguejo, avaliados em cerca de 10.620 euros, que não tinham sido apresentados à lota.

No comunicado, a GNR indica que "o regime de venda de pescado fresco prevê que a primeira venda seja, obrigatoriamente, realizada em lota, pelo sistema de leilão", efetuado para "manter e preservar um mecanismo regulador de preços", bem como para assegurar a "transparência na constituição de preços e pelo controlo higiossanitário do pescado".

Durante a ação da GNR, foi também identificado um homem de 52 anos e elaborado o respetivo auto de contraordenação por fuga à lota, infração punível com 3.740 ou 44.891 euros, consoante o número de infratores.