A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 33 anos suspeito de tentar matar duas pessoas - uma professora no Algarve e um agricultor em Espanha - e de ser o principal responsável por uma vaga de roubos violentos durante o verão, informou esta terça-feira fonte policial.

De acordo com a agência Lusa, o detido, considerado perigoso e que se encontrava em liberdade condicional no âmbito de processos de roubo e de tráfico de droga, está indiciado por dois crimes de homicídio na forma tentada e quatro de roubo, cometidos entre julho e agosto em quatro localidades algarvias.

Um desses crimes aconteceu no início de agosto, em Faro, quando o suspeito sequestrou uma professora de 41 anos, abandonando-a num local ermo de Castro Marim, onde a amarrou, ateando fogo à sua volta, diz a PJ em comunicado.

No caminho entre Faro e Castro Marim, o homem, que forçou a entrada no carro da vítima e passou para o volante, parou pontualmente para levantar dinheiro em caixas multibanco, com o cartão da mulher.

Chegado àquele concelho, que faz fronteira com Espanha, o detido «apeou a vítima e, munido com uma pedra, desferiu-lhe pancadas na cabeça e de seguida ateou fogo à zona circundante onde a vítima estava prostrada», acrescenta a PJ.

Também no início de agosto, durante a noite, em Silves, o detido, em coautoria com outro homem e uma mulher, cometeu mais um crime violento.

O trio entrou na residência de um homem de 60 anos, amarrou-o, agrediu-o e roubou-lhe dinheiro e cartões multibanco, incendiando depois a casa com a vítima no interior.

Ainda no início desse mês, a onda de roubos violentos fez mais uma vítima, em Boliqueime, Loulé, desta vez uma mulher de 40 anos que se encontrava a vender fruta na berma da estrada.

Segundo a PJ, o homem ameaçou-a «com um objeto corto-contundente, amarrou-a e lançou mão a uma viatura automóvel pertença daquela e ao dinheiro produto das vendas».

Antes disso, numa noite do final de julho, em Albufeira, o suspeito, em coautoria com a mesma dupla, tinha manietado e agredido um homem de 27 anos para lhe roubar o automóvel e dinheiro.

A vítima foi depois transportada para um local ermo onde foi abandonada, após lhe terem cortado os tendões de Aquiles, adianta a Judiciária.

Parte destes crimes foi cometida em coautoria com uma mulher de 19 anos, que aguarda julgamento em liberdade com apresentações periódicas à PSP, e um homem de 34, que aguarda julgamento em prisão preventiva.
Redação