Portugal cancelou a compra de 10 helicópteros para o Exército. A informação é avançada pelo ministro da Defesa nacional,Aguiar-Branco, que pretende poupar até 420 milhões de euros com a desistência.

Aguiar branco explica que o país não tem condições para este investimento. Seriam 10 os helicópteros que o Estado iria adquirir no âmbito de um programa da NATO.

Mas, de acordo com declarações do ministro da Defesa à TSF. As dificuldades financeiras que o país atravessa fizeram com que o Governo desistisse da compra dos aparelhos NH90.

Com o fim do programa da NATO, que tem como objetivo equipar o Exército com estes helicópteros. Desde 2001, Portugal já investiu 87 milhões nesta área.

O Estado previa ainda que, depois da chegada dos helicópteros, surgisse uma derrapagem. O montante a pagar poderia atingir 120 milhões de euros já no próximo ano.

Agora, a renúncia do contrato pode obrigar ao pagamento de uma indemnização: em causa estão 50 milhões de euros que o ministro vai tentar converter noutro tipo de equipamento.

Em declarações telefónicas à TVI, o porta-voz diz o Exército compreende a decisão, mas sublinha que os helicópteros são necessários para destacar mais rapidamente meios. Portugal é um dos poucos países da NATO em que o Exército não dispõe de meios aéreos próprios, tendo por isso que recorrer à Força Aérea.