A GNR encerrou na quarta-feira um estabelecimento de diversão noturna com mais de 100 pessoas em Vila Nova de Gaia, numa altura em que os ajuntamentos estão limitados a 10 pessoas face à situação de contingência, anunciou esta quinta-feira.

Em comunicado, esta força policial referiu que este espaço, em Gaia, no distrito do Porto, funcionava com música ao vivo.

Já à agência Lusa, fonte da GNR revelou que o estabelecimento tinha também a pista de dança aberta, levando à aglomeração de grande parte das pessoas na mesma.

O proprietário do estabelecimento, de 61 anos, foi detido e constituído arguido, tendo o processo de desobediência baixado a inquérito, sublinhou.

Segundo a fonte, esta operação insere-se nas ações de fiscalização com vista ao cumprimento das normas referentes à pandemia da covid-19 que, diariamente, os militares têm levado a cabo.

A ministra de Estado e da Presidência afirmou que até 14 de outubro vão manter-se sem alterações "todas as medidas" no âmbito da situação de contingência em Portugal continental que vigora desde o passado dia 10.

Na próxima quinzena, não haverá quaisquer alterações em relação às medidas já em vigor. Mantemos exatamente as mesmas regras que foram definidas há 15 dias", declarou Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros.

Entre outras medidas no âmbito da situação de contingência, o primeiro-ministro anunciou ajuntamentos limitados a 10 pessoas, estabelecimentos comerciais com abertura só a partir das 10:00, "com exceções como sejam pastelarias, cafés, cabeleireiros e ginásios", e limitação do horário de encerramento dos estabelecimentos entre as 20:00 e as 23:00 por decisão municipal "em função da realidade específica" em cada concelho.

No mesmo quadro de medidas, o Governo decidiu que os restaurantes podem continuar abertos até à 01:00, podendo receber clientes até às 00:00 para refeições.

Em áreas de restauração de centros comerciais está em vigor um limite máximo de quatro pessoas por grupo, para "evitar grandes concentrações de pessoas".

Portugal contabiliza pelo menos 1.931 mortos associados à covid-19 em 71.156 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

/ AG