Uma mulher de 79 anos, de nacionalidade espanhola, foi detida terça-feira, em Vila Real, Portugal, por suspeitas de liderar uma rede de tráfico de cocaína que usava os portos portugueses para fazer chegar a droga a Espanha. A operação foi um trabalho conjunto da Guarda Civil, da Polícia Nacional e da Polícia Judiciária. A informação é avança pelo jornal espanhol El País.

A rede, que usava uma empresa de importação de pedras, criada em Portugal para justificar a chegada de contentores ao país, também exigia o dinheiro adiantado aos grupos que fornecia a droga.

Ao todo, a operação terminou com três detenções. Além da cabecilha da rede, a mulher de 79 anos residente em Alió, Tarragona (Espanha), juntamente com dois homens de 26 e 60 anos de idade. Todas as detenções foram feitas em Vila Real.

O grupo tratava da importação da substância, que depois vendia a traficantes que faziam a distribuição e venda direta aos consumidores. A empresa, registada em Portugal, tinha como atividade declarada a importação de pedra coralina, da República Dominicana.

Durante as buscas realizadas nas casas dos detidos e na empresa, as autoridades encontraram um dos contentores utilizado no tráfico, especialmente criado para esse fim. A estrutura estava modificada, de forma quase impercetível, e tinha uma zona escondida para ocultar a droga. 

Além de ser a cabecilha da rede, a mulher de 79 anos era também a proprietária da empresa. A droga, depois de chegar a Portugal, era levada para Espanha, e distribuída por grupos de traficantes. As autoridades espanholas e portuguesas, segundo o El País, não descartam a possibilidade de haver mais detenções.

Redação