Um juiz determinou a obrigação de permanência na habitação para um suspeito de violar no Porto um menor incapacitado por doença mental, revelou hoje a Polícia Judiciária.

De acordo com um comunicado policial, o arguido, de 19 anos e já condenado por crimes da mesma natureza, “aproveitou-se do ascendente que tinha sobre o menor pela incapacidade que este padece, motivada por doença mental”.

O crime foi consumado nos balneários de um ginásio que ambos frequentavam.

A investigação permitiu apurar que “terão já ocorrido anteriormente atos da mesma natureza, envolvendo agressor e vítima”, afirma a polícia.

. / JGR