O homem suspeito de na noite de terça-feira ter disparado um tiro contra a mulher, atingindo-a na nuca, em Bragança, vai ser presente a tribunal na quinta-feira, segundo o comandante distrital da PSP, José Neto, que hoje esclareceu os jornalistas sobre o alegado caso de violência doméstica que envolve um casal chinês a viver em Bragança há 16 anos.

Fonte da Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste disse à Lusa que a vítima “está livre de perigo” e que é provável que tenha alta ainda hoje.

De acordo com o comandante, a PSP foi alertada, pelas 22:30 de terça-feira, pela ULS do Nordeste para a entrada na urgência de uma mulher com um tiro na nuca.

A mulher de 53 foi atingida na cabeça "com um disparo próximo de uma arma adaptada", como explicou o comandante.

O comandante José Neto esclareceu ainda que "a vítima ajudou a perceber a situação" e o testemunho levou as autoridades ao marido, de 59 anos, que foi detido junto à residência.

A situação terá decorrido dentro da casa onde o casal vivia e a PSP não esclareceu como é que a vítima chegou ao hospital.

O comandante acrescentou que a mulher "está bem e está a recuperar deste acidente".

Indicou ainda que "não existe histórico de violência doméstica" entre este casal.

Estamos perante um facto de um marido que dá um tiro na cabeça da mulher, não há testemunhas", afirmou o comandante, acrescentando que o caso foi entregue à Polícia Judiciária.