O Tribunal de Leiria decretou prisão preventiva para um suspeito dos crimes de violência doméstica agravado e de violação, na Marinha Grande, anunciou hoje a Procuradoria da Comarca de Leiria.

A Procuradoria da Comarca de Leiria informa que, "verificando-se a existência de perigo de continuação de atividade criminosa e de perturbação grave da ordem e tranquilidade pública", o juiz de instrução do Tribunal de Leiria determinou que o arguido aguardasse os trâmites do processo em prisão preventiva e com a proibição de contactar a vítima e o filho do casal.

No dia 10 de abril de 2019, por iniciativa do Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, um arguido do sexo masculino, nascido no ano de 1964, foi sujeito a primeiro interrogatório judicial no Juízo Central de Instrução Criminal de Leiria, por se considerar fortemente indiciada a prática, em autoria material e concurso efetivo, de um crime de violência doméstica agravado e um crime de violação.

Segundo a nota, no período compreendido entre 2016 e 2019, verificando-se o último facto no dia 25 de março de 2019, o suspeito "dirigiu-se à sua esposa e proferiu expressões injuriosas e ameaçadoras, humilhando-a e incutindo-lhe receio pela sua segurança e de forma a afetar a sua tranquilidade".

O arguido terá ainda, "por diversas vezes", no interior da residência comum do casal, na Marinha Grande, desferido "murros no corpo e rosto da ofendida, bem como bofetadas" e "puxado os cabelos".

Alguns destes factos foram praticados quando a ofendida se encontrava grávida, o que era do conhecimento do arguido."

A investigação prossegue sob direção do Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, com a coadjuvação da PSP da Marinha Grande.