O funeral da avó e da neta assassinadas no início da semana, no Seixal, realizou-se este sábado

O principal suspeito, genro e pai das vítimas, suicidou-se depois de ter esfaqueado mortalmente a sogra, na segunda-feira, e de ter, ao que tudo indica, asfixiado a filha de dois anos, com quem tinha fugido de carro.

O suspeito já tinha sido alvo de queixas da ex-companheira, por violência doméstica, mas nunca chegou a ser ouvido pela PSP nem pelo Ministério Público.

As autoridades acabaram por arquivar o processo, três meses depois de apresentada queixa, sem que o homem fosse inquirido.

A mãe da menina alegava que o ex-companheiro tinha feito ameaças de morte a ela e aos pais por causa da guarda da fiha.

A audiência para estabelecer o poder paternal estava marcada para o dia em que a avó foi assassinada.