O Tribunal da Feira condenou dois homens a penas de oito anos e oito anos e meio de prisão por terem participado num assalto violento a uma moradia na Feira, tendo absolvido outros dois arguidos, informou esta quarta-feira fonte judicial.

A pena única resultou do cúmulo jurídico das penas parcelares aplicadas a cada um dos arguidos por dois crimes de roubo agravado e um crime de detenção de arma proibida.

Os dois arguidos, de 31 e 35 anos, que se encontram em prisão preventiva, também estavam acusados do furto de um veículo e falsificação de documento, mas foram absolvidos destes crimes.

A pena mais gravosa foi aplicada ao arguido que disparou uma arma ‘taser’ contra o dono da habitação.

Os outros dois arguidos no processo foram absolvidos de todos os crimes por falta de provas.

Durante o julgamento, os arguidos agora condenados já tinham ilibado os outros dois arguidos, afirmando que não participaram no assalto ocorrido a 24 de abril, pelas 02:00.

O Tribunal deu como provado que os arguidos, juntamente com outros dois indivíduos não identificados, assaltaram uma casa em Santa Maria da Feira, no distrito de Aveiro, com recurso a violência sobre o casal que nela habitava.

Os dois arguidos, juntamente com um comparsa, arrombaram a porta da cozinha e entraram na residência munidos com uma arma ‘taser’ e um objeto semelhante a uma pistola, enquanto o quarto elemento ficou a aguardar no exterior, dentro de uma viatura.

De seguida, os assaltantes abordaram os donos da habitação no quarto onde estes se encontravam e, mediante ameaças com o objeto semelhante a pistola e descargas de ‘taser’ no corpo do elemento masculino do casal, forçaram-no a abrir dois cofres, de onde retiraram 4.500 euros em dinheiro, relógios, joias e chaves dos veículos automóveis dos ofendidos.

Quando se preparavam para fugir do local nos automóveis dos ofendidos, com o produto do roubo, foram surpreendidos por uma patrulha da GNR que foi alertada por um vizinho, vindo a ser capturados, tendo um deles sido atingido por disparo de arma de fogo efetuada por militar da GNR.

O outro homem que se encontrava no interior da habitação e o elemento que ficou dentro do automóvel conseguiram escapar para parte incerta.

/ JGR