A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, assumiu, nesta quinta-feira, que a maior parte das recentes vítimas mortais da covid-19 "está vacinada". 

Questionada pelos jornalistas, Graça Freitas explicou que, atualmente, os óbitos registados devido à doença correspondem a "pessoas com 80 ou mais anos de idade e com várias doenças”.

Apesar de ter revelado que as pessoas que morreram estavam vacinadas, Graça lembrou que os portugueses devem confiar no processo de vacinação.

"Temos uma estrutura montada no Ministério da Saúde, a começar pelo Infarmed, que é a estrutura que garantiu que o país entrava na compra das vacinas, e as estruturas estão todas montadas. As pessoas têm de manter a confiança na vacinação. Se foi necessária essa confiança na primeira etapa, continua a ser necessária agora", esclareceu, apelando a que a população faça um reforço e confie na eficácia das vacinas.

“Há uma vontade dos cidadãos em vacinarem-se. O reforço é uma necessidade para chegarem aos meses mais agressivos do ano protegidos”, rematou.

No dia que antecede a reunião do Infarmed, Graça Freitas avançou algumas novas medidas no esquema de vacinação da covid-19.