(Notícia atualizada às 12h46 com esclarecimentos oficiais da ANA Aeroportos)

Depois da enchente de passageiros que se verificou no aeroporto de Faro, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) vai reforçar o número de inspetores.

“Com o reforço de efetivo do SEF, operado esta semana, o Serviço assegurou já mais 12 inspetores afetos ao Aeroporto de Faro. E, a partir de 1 de setembro, haverá novo reforço de mais 10 inspetores”, lê-se numa nota enviada ao site da TVI24.

A situação foi verificada depois de ter sido aberto o corredor aéreo com o Reino Unido.  Por já ser considerado um país “seguro”, Portugal, especialmente a região sul, tem sido muito procurada por britânicos, o que levou ao congestionamento do aeroporto.

O SEF diz que se tratou “de uma situação pontual e circunscrita (…) Nesse período de tempo, aterraram naquela estrutura aeroportuária oito voos, o que correspondeu a mais de 800 passageiros controlados na fronteira”.

Mas o SEF antecipa novas aglomerações. No comunicado, é ainda explicado que, “atualmente, o controlo documental de passageiros no Aeroporto de Faro está a funcionar, por determinação da ANA Aeroportos, na chamada ‘zona de inverno’, que não se encontra adequada a receber o exponencial crescimento do número de passageiros (+190%), após a abertura do corredor aéreo com o Reino Unido. Esta zona de inverno contempla apenas 5 posições de controlo documental de passageiros na área de chegadas, não tendo a ANA Aeroportos ainda aberto a ‘zona de verão’ que contempla 10 posições de controlo que permitiriam garantir maior celeridade no controlo de fronteira”.

Em resposta, a ANA Aeroportos diz que o congestionamento que ocorreu no aeroporto de Faro é fruto "da falta de recursos por parte do SEF" e lamenta que tal situação "cause impacto negativo nos passageiros".

Mais: a autoridade que gere vários aeroportos em Portugal refere que "a situação referida ocorreu na zona de controlo de fronteira das chegadas, sendo esta área a mesma utilizada no período de verão como de inverno, contrariamente ao que foi afirmado. Refira-se que no momento referido, dos cinco postos de controlo disponíveis apenas dois se encontravam em funcionamento. Também os equipamentos de controlo eletrónico não estavam a operar", lê-se na nota oficial enviada ao site da TVI24.

A entidade referiu ainda que dá toda a informação necessária para que possa haver um planeamento adequado. 

Lara Ferin