A depressão Diana, que está a afetar os Açores, já provocou o cancelamento de ligações aéreas, deixando em terra cerca de 400 passageiros, e motivou seis ocorrências em estradas e habitações nas Flores, São Jorge e Terceira.

O porta-voz da transportadora aérea açoriana SATA adiantou esta manhã à agência Lusa que as condições meteorológicas no arquipélago impediram hoje a realização do voo da Azores Airlines Lisboa/Terceira/Lisboa, acrescentando que "os passageiros serão reacomodados esta tarde numa ligação via Ponta Delgada" (ilha de São Miguel).

O mau tempo obrigou ainda ao cancelamento dos voos Terceira/São Jorge/Terceira, Ponta Delgada/Horta/Ponta Delgada e Horta/Flores/Horta, mas os passageiros destas ligações interilhas, da SATA Air Açores, só seguirão viagem "na quarta-feira", já que devido ao mau tempo "não se consegue prever a sua reposição hoje", indicou António Portugal.

Fonte do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores adiantou à Lusa haver o registo de "seis ocorrências nas ilhas das Flores, São Jorge e Terceira" – em causa estão "queda de árvores, telhados que se soltaram de habitações e o derrube de um poste de luz, situações já resolvidas".

Devido ao estado do mar, a autoridade marítima determinou hoje o fecho a toda a navegação dos portos das Poças, em Santa Cruz das Flores, e nas Lajes do Pico.

O Governo Regional dos Açores determinou o encerramento das escolas, creches e jardins-de-infância nos grupos Central (Terceira, São Jorge, Graciosa, Faial e Pico) e Ocidental (Flores e Corvo).

Em comunicado, o executivo açoriano explicou que, por precaução, a Secretaria Regional da Solidariedade Social recomenda o encerramento das escolas dos diferentes ciclos de ensino, creches e jardins-de-infância, dos Centros de Atividades de Tempos Livres, dos Centros de Atividades Ocupacionais e dos Centros de Dia.

Na sua última atualização, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) explica que às 08:00 locais (mais uma hora em Lisboa) a depressão Diana estava “a 384 quilómetros a noroeste das Flores e mantendo o deslocamento para nordeste".

Até ao momento, a rajada máxima registada foi de 138 quilómetros por hora, na ilha das Flores, às 05:30 locais, segundo o IPMA.

Citada num comunicado, a meteorologista Vanda Costa, da delegação do IPMA nos Açores, refere que ao longo do dia de hoje são ainda esperadas “rajadas na ordem dos 130 quilómetros por hora no grupo Ocidental (Flores e Corvo) e ondas que poderão atingir os 12 metros de altura significativa (com uma onda máxima provável atingir os 21 metros)”.

O tempo deverá apresentar uma melhoria gradual para o fim do dia.

No grupo Central, o IPMA mantém a previsão de que ao longo do dia de hoje as rajadas poderão atingir os 120 quilómetros por hora e as ondas poderão chegar aos nove metros de altura significativa.

É também esperada precipitação por vezes forte a partir do fim da tarde, prolongando-se no início da madrugada de quarta-feira.

Para o grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria), prevê-se a ocorrência de precipitação por vezes forte, a partir desta noite e até à manhã de quarta-feira, assim como o aumento da agitação marítima, com ondas que poderão ir até aos seis metros de altura significativa na madrugada de quarta-feira.

O IPMA emitiu aviso vermelho para as Flores e para o Corvo referente a agitação marítima, que vai vigorar até às 18:00 de hoje.

O aviso vermelho é o mais elevado dos avisos meteorológicos e representa uma situação meteorológica de risco extremo.