O Ministério Público abriu um inquérito na sequência de uma queixa relativa a esquemas praticados pelos influenciadores digitais ligados às criptomoedas, às apostas desportivas e aos mercados financeiros.

O caso está a ser investigado pela Unidade de Combate ao Cibercrime da Polícia Judiciária, sabe a TVI.

Uma petição, assinada por mais de 12 mil subscritores até à manhã desta quinta-feira, solicitava à Polícia Judiciária (PJ) e ao Supremo Tribunal de Justiça que investigasse os "esquemas ou pseudo-negócios" praticados por alguns influenciadores digitais.

A PGR não especifica, no entanto, se a participação em causa é contra os youtubers Windoh ou Numeiro, que têm sido alvo do movimento acusações na rede social Twitter.

Em paralelo, a TVI apurou que o advogado de Diogo Figueiras (Windoh) fez uma queixa à Polícia Judiciária por este ter sido pirateado por um hacker, que terá exposto o esquema na internet.

O influenciador social já respondeu às alegações através de um vídeo no Youtube, onde alega ter sido vítima de um crime de acesso indevido.