A Polícia Judiciária constituiu esta quarta-feira arguido o 'hacker' de 20 anos, que usa o nome ‘red light13’, que no ano passado invadiu aulas virtuais na plataforma Zoom, por suspeitas de acesso ilegítimo e difamação, disse à Lusa fonte da PJ.

A mesma fonte, que não referiu o nome verdadeiro do suspeito, adiantou que em buscas realizadas à casa do jovem foram-lhe apreendidos alguns bens e que a investigação policial ao caso continua.

O ‘youtuber’ intrometeu-se, durante primeiro período de confinamento, em aulas de várias escolas do país para ridicularizar professores e alunos, tendo os seus vídeos chegado quase às 150 mil visualizações.

Em comunicado divulgado em 19 abril do ano passado a PJ anunciou que tinha identificado o jovem que entrou em plataformas ‘online’ de ensino à distância.

Na nota a polícia adiantava que o jovem, por livre iniciativa, tinha eliminado as suas contas em redes sociais, referindo já na altura que este podia vir a ser responsabilizado penal e civilmente.

/ HCL