Belmiro de Azevedo respondeu desta forma à afirmação do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Amaral Tomaz, que deu a entender em debate parlamentar desta quinta-feira que as situações de fraude fiscal abrangem as grandes empresas, ao contrário de outros países.

O empresário acrescentou mesmo que «somos mais cumpridores das nossas obrigações fiscais do que o Estado é connosco».

«Somos superexemplares», disse Belmiro de Azevedo à margem de uma conferência na Escola de Gestão do Porto.

«Só nos portamos bem», concluiu, surpreso com a afirmação do Secretário de Estado.