As eleições legislativas estão mesmo à porta. Faltam pouco mais de dois meses para os portugueses decidirem, a 6 de outubro, quem vai governar o país nos próximos quatro anos e quem querem que represente os seus interesses na Assembleia da República.

À data da sondagem da Multidados para a TVI, as intenções de voto dos portugueses distribuíam-se da seguinte forma:

PS 35,5%
PSD 20,3%
BE 14,7%
PAN 7,9%
PCP/PEV 5,6%
CDS-PP 3,3%
Outros 5,0%
Brancos/Nulos 7,7%

Quais as grandes novidades deste panorama? O facto de o Partido Socialista não ter a maioria absoluta e o PAN passar a ser a quarta maior força política, à frente de partidos como o PCP e o CDS-PP. O Bloco de Esquerda também sobe 4,4% nas intenções de voto. Já o PSD, com 20,3%, tem o pior resultado de sempre numas legislativas.

Fazendo as contas, o BE e o PAN são suficientes para garantir uma maioria estável de apoio ao Governo, ou seja, podem garantir uma nova geringonça. 

Os dados desta sondagem, quando comparados com os resultados das legislativas de 2015, revelaram ainda que votariam no PSD 46,3% dos eleitores que votaram na coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP). Os restantes iriam desviar as intenções de voto: 8,7% para o CDS-PP; 8,1% para o PS; 3,7% para o PAN; e 1,3% para o BE.

À data da sondagem, as intenções de voto no PSD e do CDS foram inferiores em 18,1%, já a do PS, ainda que sem maioria absoluta, sobe 3,5%. 

A sondagem da Multidados, com o objetivo de avaliar a intenção de voto dos portugueses nas eleições legislativas, foi realizada entre 18 a 28 de julho, através de 800 entrevistas telefónicas e apresenta uma margem de erro de +3,5%, para um nível de confiança de 95%. 

As razões apresentadas para não votar nas candidaturas apresentadas

Esta sondagem da Multidados apurou ainda algumas das razões que levariam os portugueses a não votar nas legislativas de outubro. Quase 30% do eleitorado afirmou que não confiava em nenhum dos partidos e 11,5% disse que não tem nenhum partido no qual costuma votar. De recordar que a abstenção em 2015 foi de 44,14%. 

Não tenho nenhum partido em que voto habitualmente 11,5%
Não sei qual o partido em que os meus familiares votam 0,0%
Não há um partido que defenda os meus interesses 7,3%
Não existe um partido que esteja próximo das minhas ideias 6,6%
Não há um partido que tenha as pessoas que inspiram confiança 29,8%
Não existe um partido que tem dirigentes que conheço pessoalmente 0,0%
Nenhum partido exprime o meu protesto 2,9%
Não há um partido que melhor se comunica com os eleitores 1,8%
Nunca voto 8,3%
Não sei 9,4%
Outro motivo 14,2%
Não respondo 8,2%

Em 2015, a coligação Portugal à Frente ganhou as eleições

Nas eleições legislativas de 4 de outubro de 2015, foi a coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) que ganhou as eleições com 38,36% dos votos, já a contar com Madeira e Açores. No entanto, o PS decidiu avançar com um Governo minoritário, com o apoio parlamentar do BE, PCP e PEV, a famosa geringonça. 

PSD/CDS-PP 36,86%
PS 32,31%
BE 10,19%
PCP 8,25%
PPD/PSD 1,50%
PAN 1,39%
Brancos 2,09%
Nulos 1,66%