Declarações de Abel Ferreira, treinador do Sp. Braga, na conferência de imprensa após a derrota com o Benfica (1-4), em jogo da 31.ª jornada da Liga:

«Fizemos uma primeira parte de grande nível, onde criámos muitas dificuldades ao nosso adversário. Fomos capazes de tapar os caminhos para a nossa baliza quando não tínhamos bola e quando tínhamos tivemos a audácia de jogar cara na cara com o nosso adversário, criando-lhes dificuldades. Com um bocadinho de mais critério e definição no último terço poderíamos ir para o intervalo com outro resultado. Esperávamos uma resposta de uma equipa com estofo de campeão, que queria ir à procura de outro resultado e o jogo pôs-se a jeito para eles. Numa situação defensiva, em clara recuperação de superioridade numérica, surge o primeiro penálti. O segundo penálti surge exatamente da mesma forma. Fomos algo passivos com a pressão e a ganhar o duelo. A partir daí, o Benfica joga muito bem em transição, porque tem jogadores rápidos em progressão e que definem muito bem... E o jogo pôs-se a jeito para o nosso adversário. O terceiro golo surge de uma bola parada e o jogo ficou partido. Na primeira parte estivemos muito bem, na segunda parte o adversário foi melhor. O resultado caiu para a melhor equipa [...] Sinto orgulho pelo que fizemos na primeira parte. Na segunda parte fico frustrado por não termos conseguido manter a mesma toada, coragem, audácia... No fundo, estofo.»

«Quer enquanto jogador, quer como treinador, quando temos uma equipa recheada de campeões, que quer mais do que aquilo que tem... Há que ter estofo. Hoje, temos de reconhecer mérito ao nosso adversário. Não jogámos sozinhos. E eles conseguiram desatar aquele nó com dois penáltis. O jogo ficou a jeito para o nosso adversário.»

Sérgio Pires / Estádio Municipal de Braga