Declarações do treinador do Sp. Braga, Ricardo Sá Pinto, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após a derrota frente ao Paços de Ferreira, por 1-0, em jogo da 14.ª jornada da Liga:

«Algumas das situações posso concordar, que devíamos definir melhor, mas temos outro grande guarda-redes a fazer uma grande exibição e a parar bolas de golo. Temos de ser justos na análise. Não fomos perfeitos, mas a equipa criou, mais uma vez, e jogou e jogou o suficiente, não para empatar o jogo, para ganhar o jogo.»

«Infelizmente tivemos um lance, para mim, acho que é o lance mais escandaloso da Liga até agora, uma falta sobre o Galeno que dá o golo do Paços e não consigo entender como é que é possível não terem marcado essa falta. E juntando a muitas coisas… Esta equipa só tem uma cara, a cara de 90 por cento dos jogos domina-os, é melhor que o adversário, tivemos dois a três jogos - Benfica, segunda parte do Gil, a semana passada em que não estivemos inspirados [Aves] - apesar de, acho, merecíamos, mesmo assim, outro resultado. Hoje, não. Hoje fomos completamente dominadores. Tivemos um árbitro que não foi ajudado nesta decisão do VAR. Tem de ser anulado o golo e não foi.»

«Mais uma vez, houve influência no resultado. Esta equipa tem uma cara, só que tem uma arbitragem na Liga Europa e aqui tem outra.»

LEIA MAIS: toda a reportagem do Sp. Braga-P. Ferreira

«Esta equipa merece mais. Por exemplo: a situação do antijogo. Eu não sou só crítico. Sou crítico, mas dou a solução. Para mim fazia-se como no futsal: sempre que o jogador tiver a ser assistido, que esteja no chão, o guarda-redes no chão, o cronómetro para. O guarda-redes depois de levar um amarelo, nunca vi um guarda-redes ser expulso a repor a bola, mas o primeiro amarelo leva sempre, a seguir ao primeiro amarelo continua a fazer a mesma coisa. É espetacular! E ainda faz à antiga: bate nos postes com os pitons. E aí se calhar vamos ter mais verdade no tempo útil de jogo para quem quer jogar futebol, quem quer e diverte-se neste jogo fantástico e exigente que é esta Liga, tem de ser mais justa e não está a ser justa.»

«Estamos tristes, eram muito importantes estes três pontos, é a segunda oportunidade que perdemos para chegar lá acima. Não nos deixaram hoje. Há resultados não condizentes com a performance e tem um guarda-redes o outro lado e às vezes não estamos tão inspirados ou eficazes como devemos. Queria só verdade desportiva. Criámos o suficiente para sair com os três pontos, merecíamos os três pontos.»

Antes da conferência de imprensa, o presidente do Sp. Braga, António Salvador, na zona mista, foi crítico à arbitragem do encontro, sobretudo ao lance que origina o golo do Paços. O dirigente solicitou uma explicação ao Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol sobre o lance.

O lance que motivou as queixas de Sá Pinto, o do golo:

Ricardo Jorge Castro / Estádio Municipal de Braga, Braga