O treinador de futebol Augusto Inácio foi condenado, por um Tribunal de primeira instância, ao pagamento de 20 mil euros de indemnização ao antigo futebolista Pedro Barbosa, afirmando que vai decidir, com o advogado, um eventual recurso da decisão.

«O pedido inicial de indemnização era de 40 mil euros e ficou pela metade. Foi um empate através de uma sentença salomónica», referiu esta terça-feira Augusto Inácio, à agência Lusa, referindo que vai «decidir o passo seguinte» com o advogado.

«Não fui condenado por mentir nem caluniar, mas por beliscar o bom nome do [Pedro] Barbosa», continuou Inácio, notando que, se fosse hoje, talvez não o faria da forma que fez, mas que este e outros momentos serviram para o afastar do comando técnico dos verde e brancos.

O processo remonta a fevereiro de 2018 e, entre as acusações de Inácio, está a crítica a Pedro Barbosa, que jogou dez anos no Sporting, por ter agido contra os interesses do clube leonino, incluindo uma expulsão forçada num Benfica-Sporting (3-0), em 2000/2001.

Barbosa acusou Inácio, que o orientou entre 1999 e 2001, de prestar «declarações falsas e caluniosas», tendo então avançado para o processo judicial que conheceu agora o desfecho.

«Após 18 anos, do nada, Augusto Inácio vem, incompreensível e gratuitamente, tecer considerações inverídicas e maldizentes», afirmara, na altura, Pedro Barbosa, em esclarecimento enviado à Lusa.

A sentença refere que as palavras de Inácio «são vexatórias para qualquer atleta que se preze» e que «dizer que um futebolista tudo fez para que a sua equipa perdesse é, certamente, a ofensa mais grave que se pode fazer do ponto de vista profissional».