O médio do Sporting, Bruno Fernandes, admitiu, esta terça-feira, que tem «sonhos por concretizar» na carreira de futebolista e sabe de «clubes interessados». Apesar disso, defende a «ligação muito forte» ao Sporting e que não é só «a questão financeira» que pode implicar uma mudança no futuro, mas também o conforto familiar.

«É uma escolha difícil, nunca sabemos o que irá acontecer. Não sabemos o que pode acontecer se sair. Estou perto de casa, tenho a minha família, a minha filha pode crescer mais facilmente na escola, mas há sonhos por concretizar na minha cabeça e que gostaria de concretizar», referiu o jogador dos leões, em declarações na SIC, esta terça-feira, garantindo que não há algo certo para 2019/2020.

«Sinceramente, ainda não sei. Eu gosto de tratar as coisas quando o campeonato está fechado, quando posso pensar com tranquilidade. A questão financeira pesa sempre um bocado, temos uma carreira curta. Mas ficando aqui, vou sempre conseguir juntar dinheiro, não é uma questão financeira. É uma questão de sonhos por concretizar. Mas se a minha família não se sentir bem, não faz sentido ir para onde a minha família não se sentir bem», reforçou Bruno Fernandes.

O jogador de 24 anos revelou ainda que o ídolo de infância era «principalmente Ronaldinho», mas que «com o crescer e o aparecer do Cristiano [Ronaldo]», o atual jogador da Juventus tornou-se a «principal referência».

Bruno lembrou, ainda, a ida para Itália e frisou a relação com o Sporting.

«As primeiras duas semanas chorei todos os dias: país diferente, não falar a língua, estar sozinho, mas ela [ndr: a esposa] e os meus pais foram uma força. A ligação ao Sporting é muito forte, principalmente depois dos acontecimentos [ndr: ataque a Alcochete], a maneira como fui recebido, significou muito. A paixão que as pessoas mostraram é gratificante», apontou.