Sporting e Benfica vão entrar para o dérbi de sábado separados por oito pontos na classificação.

Esta é a maior distância entre leões e águias antes de um frente a frente entre os dois conjuntos numa segunda volta desde 2012/13. Nessa temporada, os encarnados, então orientados por Jorge Jesus, receberam o rival à 26.ª jornada com 34 (!) pontos de vantagem, mais do que os leões tinham na altura (33). O jogo terminou com a vitória do clube da Luz por 2-0 naquele que foi o primeiro dérbi de Bruno de Carvalho enquanto presidente do Sporting.

Ao longo das décadas alimentou-se a ideia de que a equipa em pior momento sai habitualmente vencedora destes duelos. Verdade ou mito? Certo é que os últimos dez anos ajudam não só a desmistificar a teoria como a criar uma outra máxima: quem chega aos dérbis muito à frente (oito pontos com referência) sai de lá com a vantagem reforçada.

Mas nem sempre. Em 2011/12, o Sporting seguia 12 pontos atrás do Benfica quando recebeu o rival também na 26.ª ronda. Os leões, comandados por Sá Pinto, venceram por 1-0 com um golo de Van Wolfswinkel. Foi o último triunfo da equipa de Alvalade em casa sobre as águias em jogos para o campeonato.

Na temporada anterior, os eternos rivais mediram forças na 20.ª jornada. Desta vez, a lei do mais forte imperou, com o Benfica a regressar feliz da casa do rival com uma vitória por 2-0 e a vantagem ampliada para os leões de 12 para 15 pontos.

O mesmo resultado verificou-se em 2009/10, com o Benfica a impor-se no Estádio da Luz numa partida para a qual entrou com 23 pontos de avanço sobre o Sporting, a segunda maior distância entre as duas equipas na década.

Recuando mais no tempo até ao início do século é possível encontrar outros exemplos em que a exceção de sobrepôs à regra e até com os rivais separados por mais do que oito pontos.

Ainda assim, em 2005/06 o Sporting foi à Luz a seis pontos das águias e acabou por vencer por 3-1 e terminar ainda o campeonato com cinco pontos de vantagem sobre o eterno rival.

Ou em 2002/03, quando a equipa de Alvalade foi ao Jamor (casa emprestada do Benfica) impor-se por 2-1 numa 30.ª jornada para a qual entrou a onze pontos das águias.

E lembra-se de 2001/02, quando o Sporting, então com 11 pontos de vantagem sobre os encarnados, adiou o xeque-mate do campeonato ao empatar a uma bola em casa na 32.ª jornada?

Um padrão que volta a baralhar a tese que a última década ajudou a montar: que quem está muito melhor sai do dérbi ainda mais por cima. Mas o melhor mesmo é esperar!

David Marques