Nuno Mendes garante que a liderança da Liga não causa surpresa no balneário do Sporting.

O lateral joga à defesa quando fala das aspirações leoninas, mas elogia o grupo de trabalho e diz que o primeiro lugar é encarado com tranquilidade.

«Não surpreende, pois temos um plantel cheio de qualidade, com jovens e outros jogadores mais velhos. Temos um grupo muito unido, nos treinos e jogos damos o máximo. Não nos surpreende», afirma, em entrevista à TVI.

Questionado sobre as escorregadelas dos rivais, FC Porto e Benfica, Nuno Mendes garante que o plantel leonino passa ao lado disso: «Estamos mais focados no nosso trabalho. Não ligamos muito ao que os outros clubes fazem. Pensamos jogo a jogo e treino a treino.»

Com apenas 18 anos, Nuno Mendes reconhece que «não estava à espera» de chegar tão cedo à equipa principal, e muito menos ter o impacto que está a conseguir, mas diz que é preciso «estar preparado para subir ou descer de escalão a qualquer momento».

«Preparei-me ao máximo para este momento, desde os infantis, e a prova disso é o que faço em campo. Preparei-me ao máximo», reforça.

«Sou um jogador tranquilo, não acuso nenhuma pressão»

Classificado como o melhor lateral esquerdo da sua geração pelo presidente leonino, Nuno Mendes garante que a declaração de Frederico Varandas não dá pressão adicional: «Não, sou um jogador tranquilo, não acuso nenhuma pressão. Mostro isso dentro de campo. Fico um bocado nervoso, é normal, mas acho que não tenho nenhuma pressão, e mostrou isso em campo. Foco-me em fazer o que importa e deixo isso de parte, embora valorize.»

O lateral assume a ambição de chegar à Seleção AA, mas diz que tem de estar preparado tanto para subir de escalão como para descer, pois, apesar de ser internacional sub-21, tem apenas 18 anos.

Questionado sobre a possibilidade de partilhar o balneário com Cristiano Ronaldo, Nuno Mendes diz que seria «um orgulho». «Ainda para mais foi formado aqui no Sporting… Gosto muito dele. Acho que era importante para a minha carreira partilhar o balneário com o melhor do mundo», acrescenta o jogador leonino, que admite que as pernas ficariam a tremer quando entrasse no balneário da equipa das quinas pela primeira vez.

«Não só por ele, mas por todos aqueles jogadores de qualidade. Seria normal tremer um bocado», assume.

Relativamente ao interesse que vai despertando no mercado, Nuno Mendes assume que Inglaterra e Espanha têm as ligas preferidas, mas até admite terminar a carreira no Sporting.

«Era uma forma de agradecer ao clube por tudo o que fez e faz por mim. Nunca se sabe. Se terminar aqui, termino feliz», conclui.

João Paiva