O Sporting correu muito diante do Barcelona na quarta-feira, mas Jorge Jesus disse, na antevisão ao jogo com o FC Porto, que não quer ouvir falar de cansaço para o encontro de domingo.
 
«Já abordei esse tema, quem quer estar na Champions e com os melhores não coloca esse problema. Tem de se estar preparado, seja quem for o adversário, e dar uma boa resposta consoante as ideias e objetivos que pretendemos, neste caso, para a conquista do título.»
 
«Estamos preparados para fazer um excelente jogo e confiantes de que podemos e temos equipa para conseguir vencer», acrescentou, referindo ainda que, tal como o FC Porto, os leões chegam a este encontro motivados porque o resultado com o Barcelona não foi desmotivante. 
 
«Tenho a certeza que o FC Porto está confiante e com moral. É a única equipa que ainda não perdeu pontos no campeonato. O Sporting tem um empate na Liga, mas perdeu com o Barça. Ainda assim, acho que esses jogos não terão influência nos jogadores, na crença ou confiança. Quem ganha 3-0 ao Mónaco está confiante e quem faz o que fizemos e perde com o Barcelona por 1-0 também está.»
 
Na mesma ocasião, e desvalorizando os poucos golos marcados nos últimos jogos, o treinador leonino relembrou a particularidade desses encontros e o facto de à defesa o Sporting estar bem.
 
Primeiro defendeu Bas Dost, dizendo que «só jogou um jogo e meio e não três» e enalteceu que «o período das equipas de fazer golos tem a ver com os adversários».
 
«O jogo da Taça da Liga também é importante, mas temos é de contabilizar a marcação de golos, ou o sofrer golos, nos jogos no campeonato e para a Champions. E aí, é verdade, fizemos um golo e com o Barcelona não conseguimos fazer nenhum. Por aí, não se põe a ideia de fazer golos, e podia até sofrer muitos porque com o Barcelona leva-se um cabaz e nós não levámos. Por isso, a equipa está bem e no caminho certo.»
 
Dois empate e uma derrota, nos últimos jogos, não são também motivo de alerta nem de quebra: «É preciso saber olhar para os três jogos. Contra o Marítimo não vencemos, mas foi uma equipa completamente diferente da que fez as vitórias consecutivas, e a derrota foi contra a melhor equipa do melhor. Foi uma derrota, mas não tira valor àquilo que temos vindo a fazer.»