Ruben Amorim, treinador do Sporting, em declarações aos jornalistas após o jogo com o Famalicão no Estádio José Alvalade para a 26.ª jornada da Liga:

«Quisemos ganhar o jogo e fizemos tudo para ganar. Tivemos várias oportunidades e devíamos ter feito os golos. Não fizemos e saímos penalizados por isso.»

[Sobre o facto de Pedro Gonçalves ter jogado no meio-campo]

«O Pedro Gonçalves é médio-centro. Para certos jogos, podemos mudar em função das características dos jogadores. Entendemos que o Pedro Gonçalves seria mais útil ali. É claramente a posição dele. Não faz tantos golos, mas acho que se diverte mais a jogar.

Em relação às alterações ao intervalo, o Palhinha foi condicionado e com um cartão amarelo por vezes não vale a pena tê-lo. É um jogador muito agressivo e que nos pára as transições. O jogo do Palhinha acabou na primeira jogada. A partir daí teve de controlar-se e de andar em pezinhos de lã. O Dani é também forte com a bola. Em relação ao Feddal, passou uma semana difícil e esteve tocado em vários dias, mas ele é um leão e tenta jogar todos os jogos. Mas o facto de estarmos sempre a saltar na pressão, com o nosso central a bater no lateral, deixava o Gil Dias muito no um contra um com o Feddal. O Matheus é mais rápido, é um lateral. De realçar também a entrada do Quaresma. Bem-vindo! Está a voltar e está sério. O Neto saiu porque eles estavam a cair muito por ali e precisavam do Quaresma com velocidade e ele é muito forte no um para um.

Há que tirar as coisas boas deste jogo. Muitas oportunidades, fomos claramente superiores e temos seis pontos de avanço.»

[Imaturidade de alguns jogadores viu-se no campo hoje?]

«Tem a ver com a eficácia e também a técnica. Não é só maturidade. Mas o futebol é mesmo assim. Há dias em que fazemos um remate e marcamos e hoje tivemos muitos remates, bolas claramente de golo e não conseguimos fazer. Os jogadores têm de ter noção disso. Na semana passada, por dois centímetros não marcámos um golo. Aqui ou ali, basta tocar mal na bola dentro da área, como aconteceu com o Jovane no lance mais flagrante no fim, e um jogo pode mudar, como um campeonato pode mudar. Mas estamos confiante. Sabíamos que isto era possível e vamos pensar já no Farense.

A equipa não está nervosa e mostrou-o hoje. 

[Motivo para alarme depois dos dois empates seguidos?]

«Olhamos jogo a jogo e muito para aquilo que fizemos, que é o que podemos controlar, em vez de estarmos a criar ansiedade. O que podemos fazer é olhar para o que podemos controlar. Estamos muito seguros da forma como jogamos. Temos dias bons e dias maus. Melhorando a nossa forma de jogar, vamos ganhar jogos como temos vindo a ganhar. No fim fazem-se as contas.»

David Marques / Estádio José Alvalade, Lisboa