Frederico Varandas assumiu esta sexta-feira que não dispôs dos recursos financeiros necessários para construir um plantel à medida do que estava planeado para 2019/20.

Na antevisão ao jogo deste domingo com o Belenenses, Silas foi questionado se conta reforçar o plantel em janeiro e se tem garantias de que será possível efetuar ajustes. Evasivo, o técnico dos leões frisou que a única preocupação está em potenciar os jogadores que tem nesta altura à disposição.

«É prematuro falar disso. Temos oito jogos daqui até à abertura do mercado. Temos é de nos preocupar com isso. Estamos aqui há sensivelmente cinco, seis semanas. A nossa grande preocupação tem sido conhecer o plantel e depois perceber o que podemos melhorar», começou por dizer.

«O pior inimigo de uma equipa de futebol é a falta de competitividade interna. Se não conseguirmos competir entre nós, não vamos conseguir competir com os adversários. O nosso trabalho é aumentar a competitividade interna e não estamos a falar de reforços. Aumenta-se a competitividade interna da equipa preparando todos. O nosso trabalho tem sido preparar todos os jogadores que achávamos que não estavam preparados. Como é que vemos se estão preparados? Metendo-os lá dentro», acresentou Silas, garantindo ser persistente ao ponto de conseguir fazer vingar as suas ideias.

«Sou treinador e vou aumentar a competitividade interna. Vou aumentar porque sou muito teimoso. Nunca desisto de nenhum jogador. Não há nenhum que eu diga que não serve. Sou demasiado teimoso para vacilar e para desistir de algum jogador (...) E a competitividade interna vem muito antes das vitórias. As vitórias só vêm depois. Esse é o nosso foco: não é o mercado», concluiu.

David Marques / Academia Sporting, Alcochete