Ao segundo round, o leão derrotou o galo sobre a meta. Um triunfo arrancado a ferros já perto do final do encontro, valeu ao Sporting conquistar os três pontos que lhe permitem acalentar a esperança de chegar à final four da Taça da Liga. Bruno Fernandes desbloqueou o jogo a um minuto dos 90 e Vietto confirmou a vitória já em tempo extra.

O Gil Vicente tentou replicar a fórmula conseguida no campeonato, mas faltou argumentos, nomeadamente no ataque, para ter a eficácia do passado domingo. Foi o segundo desaire caseiro dos galos nesta temporada, ambos na competição em que Vítor Oliveira aproveitou para dar minutos aos jogadores menos utilizados.

Os leões conseguem, assim, um balão de oxigénio para os próximos encontros e mantêm-se, ainda, em três provas, embora já não dependam de si próprios no campeonato e na Taça da Liga.

Três dias depois de se defrontarem para o campeonato, as duas equipas entraram em campo com várias alterações. Do lado dos galos, apenas Denis, Nogueira e Arthur se mantiveram na equipa. Os leões não fizeram tantas alterações. Bruno Fernandes, Acuña, Luiz Phellype, Wendel e Doumbia mantiveram-se o onze escolhido por Jorge Silas.

O Sporting pegou no jogo desde cedo, mas rapidamente se percebeu que a história do jogo não iria ser muito diferente da de domingo. Os gilistas baixaram as linhas à espera do leão, que continuava a ter muitas dificuldades em chegar à área de Denis. A única vez que o guardião brasileiro teve de se aplicar foi num remate frontal de Bolasie.

Os barcelenses apostavam em transições rápidas, mas faltava definição no último passe. Na melhor jogada, Baldé ganhou em velocidade no corredor direito, cruzou para a entrada de Leonardo, mas o médio chegou um tudo nada atrasado. O intervalo chegou rapidamente sem que o resultado saísse do zero.

Os leões entraram com tudo no segundo tempo e até marcaram, numa boa jogada de entendimento do ataque. Contudo, Bolasie estava em fora de jogo no momento do passe antes da finalização. Depois, foi Luiz Phellype a cabecear para a defesa do jogo de Denis. O Gil Vicente despertou e equilibrou a contenda, começando a colocar a defesa leonina em sentido.

Os treinadores foram refrescando as equipas, mas as substituições não tiveram o efeito desejado. O jogo continuava morto, frio como o tempo, e só aqueceu em cima do minuto 90. Nogueira fez falta mesmo à entrada da área e Bruno Fernandes, de forma exímia, marcou o livre que só parou no fundo das redes. Os barcelenses, em desespero, ainda tentaram chegar ao empate, mas acabaram por sofrer o segundo. Em contra-ataque, Vietto fez o segundo e sentenciou o encontro.

Nuno Dantas