Declarações do treinador do Arouca, Armando Evangelista, no Estádio do Leça FC, após a eliminação na terceira eliminatória da Taça de Portugal, ante o Leça, no desempate por penáltis:

«Sabemos que, nos jogos na Taça, a superioridade de um adversário, por vezes, não é tudo. E quando não se consegue igualar a dedicação, a concentração, não adianta de nada nestes jogos a eliminar, ser superior tecnicamente. Não chega. Acho que passou por aí. Quando existe ambição, concentração, foco, as coisas podem funcionar. Acho que, nesses aspetos, não conseguimos igualar o que o Leça foi e o resultado é o que se viu.»

«Sofrendo um golo, o ir buscar o resultado acaba por ser complicado. As equipas fecham-se atrás, defendem-se, com todo o mérito, utilizando as armas ao seu dispor. Foi isso que se passou. Depois, o tempo corre a favor do adversário que, hipoteticamente, não era o que teria mais obrigação de ganhar. Foi-se acumulando nervosismos, jogar contra o tempo.»

«O desfecho acaba por ser o que foi, quanto a mim merecido para o Leça. O Leça, pelo que fez, pelo que defendeu, pelas transições que conseguiu, acaba por ser o justo vencedor, porque foram eles que ganharam.»

[Implicações da eliminação:] «Espero que nenhuma, até porque o Arouca tem de focar-se na manutenção na I Liga. A Taça era uma prova em que queríamos ir mais à frente, até porque é a prova rainha, dá estatuto. Agora, vamos esquecer, depois de analisar o que fizemos e focar no objetivo, que é o campeonato.»

Ricardo Jorge Castro / Estádio do Leça FC, Leça da Palmeira