Ivo Vieira, treinador do V. Guimarães, em discurso direito na conferência de imprensa depois da eliminação na 3ª eliminatória da Taça de Portugal, ante o Sintra Football:
 
[Que faltou ao Vitória?] Faltou muita coisa. temos que ser realistas sérios na análise. Fomos muito passivos, a equipa foi muito lenta em todos os processos e quando assim é o adversário vai crescer. A cada minuto acreditaram mais que é possível passar a eliminatória. Na segunda parte tentamos mudar algumas situações em termos de ataque, mas não conseguimos mesmo. Isso acabou por surtir efeito naquilo que foi o resultado. O Sintra foi melhor nos penaltis, mas não no jogo. Nós também fizemos muito pouco para ganhar. Sou o responsável porque eu e que tinha de incutir as ideias e o comportamento dos jogadores. Sou o líder para o bem e para o mal, e assumo responsabilidade naquilo que foi o nosso comportamento.
 
[Impacto da eliminação?] Dói a todos, a mim doí-me imenso muito ver o que vi hoje. Magoa-me, é difícil de dirigir. Sei que para os adeptos é uma dor maior ainda, e eles não merecem. Mas é um facto: temos de assumir e nos responsabilizar pelo que se passou aqui. Já vimos a equipa fazer coisas muito acima daquilo que se fez hoje. O nosso comportamento foi frustrante.

[Impacto na Liga] São jogos diferentes. Atrás fizemos um jogo aquém do esperado contra o Paços e acabamos por fazer um jogo fabuloso contra o Frankfurt. Estes jogos têm a mesma importância, mas estou consciente naquilo que é o meu trabalho. Mas também estou consciente que tivemos um início difícil, lançamos e potenciamos muito atletas, mas sabia que no futuro podia correr riscos em termos de resultados, embora não associe isso ao que se passou no dia de hoje. Estou muito certo em relação ao meu trabalho. Eu, como treinador, assumo que temos de estar mais focados. Não basta ser o Vitória, temos que fazer por ser o Vitória.
 
[Não querer jogadores com a cabeça noutros jogos] Eu fiz o trabalho durante a semana para que isso não acontecesse. Alertei os jogadores para isso, tínhamos este jogo que nos podia dar motivação para o jogo europeu. O que aconteceu aqui foi ‘somos melhor que os outros’. Não fizemos hoje para ser melhores que os outros. Jogamos com o Sintra a pensar que éramos melhores e pensamos que o Sintra nos ia oferecer tudo por respeito. Se hoje pudesse decidir, provavelmente mantinha a mesma equipa. Mas olhando para o futuro, pelo que foi o comportamento hoje, mudava a equipa toda. Não fujo aquilo que sou como pessoa e do meu caráter com jogadores e jornalistas, foco-me muito naquilo que faço, e sinto também a frustração que toda a envolvência vitoriana tem neste momento com este resultado por este resultado tão dececionante.

[Objetivo riscado] Momento muito ingrato, mas por responsabilidade nossa. Não fizemos suficiente para ganhar o jogo.

Luís Barreira