Por: Nuno Oliveira

O Gil Vicente está na quinta eliminatória da Taça de Portugal, depois de ter vencido a União de Leiria, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, por 3-0, com dois golos na primeira parte e um na segunda.

Os gilistas não facilitaram perante um adversário do Campeonato de Portugal e Ricardo Soares mudou apenas cinco jogadores relativamente à equipa que defrontou o Benfica, no último domingo. Já os leirienses não revelaram a mesma consistência demonstrada diante do Portimonense na eliminatória anterior.

O jogo começou praticamente com um pontapé de canto para cada uma das equipas, com Andrézinho a protagonizar a primeira situação de perigo ao rematar por cima em posição frontal, à entrada da área. Na resposta, o Gil Vicente conquistou um pontapé de canto e, na cobrança, Fujimoto colocou a bola na cabeça de Claude Gonçalves, que bateu Helton pela primeira vez. O guarda-redes leiriense pareceu fazer-se tarde ao lance e não conseguiu evitar o golo.

Com o passar dos minutos, o estatuto de equipa de I Liga por parte dos gilistas veio ao de cima, ao ganhar a batalha a meio-campo, até porque os leirienses davam muito espaço nesse setor do terreno. O sistema de três centrais (Massaia, Diego Galo e Dénis) montado por Hélder Pereira não foi sinónimo de consistência e a equipa ficou partida em dois blocos. Aos 21 minutos, Fujimoto, um dos melhores da sua equipa na primeira parte, ganhou a linha de fundo e assistiu Renan para o segundo golo. Tudo fácil para os gilistas, com o ponta de lança brasileiro a cabecear em arco, com Helton ligeiramente adiantado.

A União de Leiria sentiu e golo e só nos últimos 15 é que voltou a ir à área contrária, primeiro com Renato Alexandre a rematar para uma defesa atenta de Dénis e depois com Andrézinho a tentar surpreender o guardião gilista com um remate em arco, mas sem a direção desejada.

Segunda parte mais equilibrada

Hélder Pereira lançou Iddriss para a segunda parte, prescindindo de Dénis Martins, corrigindo a falta de um homem no meio-campo. Uma decisão acertada, com o médio a dar consistência e a permitir à sua equipa pressionar mais à frente. Aos 54 minutos, Victor Massaia esteve perto de reduzir com Dénis, por duas vezes, a evitar o golo. O central subiu à área contrária na sequência de um pontapé de canto e já na pequena área cabeceou para uma boa defesa, a bola ainda ressaltou nas costas de um defesa, mas o guarda-redes, à segunda, evitou que entrasse na baliza.

Perante o adormecimento da sua equipa, Ricardo Soares fez três alterações aos 61 minutos, lançando Lucas Mineiro, Lourency e Samuel. As substituições trouxeram o Gil de novo ao jogo, não concedendo tanto espaço aos leirienses nas alas. Num lance de contra-ataque, aos 75 minutos, Samuel Lino finalizou com facilidade, após assistência de Lourency, fechando o jogo. Um castigo pesado para os leirienses, que melhoraram bastante na segunda parte depois de terem equilibrado o jogo a meio-campo. O Gil Vicente está nos oitavos-de-final da Taça de Portugal, onde vai ter como adversário o Académico de Viseu.

_

Jogo no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).
Assistentes: Gonçalo Freire e Hugo Coimbra.
4.º Árbitro: Dinis Gorjão

U. Leiria: Helton, João Dias (c), Dénis Martins (Iddriss, Int), Victor Massaia, Diego Galo, Kaká, Babanco, Andrézinho, Renato Alexandre (Pedro Henriques, 68’), Rui Gomes (Nilo, 76’), Badará. Treinador: Hélder Pereira.

Gil Vicente: Dénis, Joel Pereira, Rodrigão (Tim Hall, 78’), Ruben Fernandes (c), Henrique Gomes, Claude Gonçalves (Leandrinho, 76’), Vítor Carvalho (Lucas Mineiro, 61’), João Afonso, Fujimoto, Leautey (Lourency, 61’), Renan (Samuel Lino, 61’). Treinador: Ricardo Soares.

Disciplina: cartão amarelo para Vítor Carvalho (18’).

Marcadores: Claude Gonçalves (9’, 0-1), Renan (21’, 0-2), Samuel (75’, 0-3).

Redação Maisfutebol / Estádio Dr. Magalhães Pessoa, Leiria