Duelo de líderes no Estádio do Lusitânia de Lourosa. O líder da I Liga visitava o terreno do primeiro classificado da Série B do Campeonato de Portugal. Uma das duas equipas ia sofrer a primeira derrota da temporada e foram precisos 120 minutos e 11 grandes penalidades para chegar ao vencedor. O Famalicão não teve vida fácil na Cidade Capital da Cortiça. Lionn, capitão famalicense, foi a estrela do jogo ao marcar a grande penalidade decisiva.

Com seis alterações em relação ao último jogo para o campeonato, o Famalicão não encontrou facilidades perante um Lusitânia de Lourosa que queria juntar-se ao lote de “tomba-gigantes” da 3ª eliminatória da Taça de Portugal. A entrada forte do Lusitânia transformou o primeiro quarto de hora num jogo equilibrado, disputado a meio campo. Decorria o minuto 27 quando os visitantes tiveram a primeira oportunidade: Fábio Martins cruzou de letra para o remate de Guga que encontrou a oposição de Wilson.

Aos 36 minutos o Lusitânia chegou à baliza de Vaná com perigo. Goba ganhou a bola, cruzou para a entrada de Léo, mas o remate saiu por cima. Aos 40 minutos novo aperto para o guarda-redes do Vila Nova, com um remate de Paulo Grilo a terminar nas mãos de Vaná. Até ao intervalo o Famalicão podia ter inaugurado o marcador, mas Tony Martinez não encontrou a direção da baliza.

A segunda parte começou com um Famalicão mais pressionante, mas a primeira oportunidade só chegou aos 62 minutos. Fábio Martins não conseguiu rematar certeiro na pequena área.

Aos 68 minutos João Pedro Sousa lançou em jogo o trunfo Anderson. Não foi preciso muito para o avançado brasileiro fazer o gosto ao pé. Na sequência de um livre a meio campo de Patrick William, Anderson surgiu sozinho na área e inaugurou o marcador.

Com 20 minutos para jogar, os “leões” de Lourosa mostraram que queriam complicar a vida do Famalicão e aproveitaram um erro crasso de Vaná quando já se jogavam minutos de compensação. Patrick William atrasou para o guarda-redes, Vaná tentou dominar e driblar Goba, mas o avançado conseguiu ganhar a posse de bola e rematou com tranquilidade, levando ao rubro os adeptos da casa.

No prolongamento destaque para a superioridade do Famalicão, com maior posse de bola e pressão junto à grande área do Lusitânia, mas sem chegar ao golo. Na lotaria das grandes penalidades os guarda-redes foram decisivos na primeira ronda: Wilson defendeu a primeira grande penalidade e Vaná redimiu-se do seu erro no jogo ao defender o remate de Hélder Castro. Depois, a história desenrolou-se com Paulo Grilo a falhar a grande penalidade e Lionn, capitão famalicense, a levar ao rubro as centenas de adeptos famalicenses que se deslocaram à cidade de Lourosa.

FICHA DE JOGO

Estádio do Lusitânia de Lourosa FC

Assistência: 5000 adeptos

Ao intervalo: 0-0

Árbitro: Carlos Xistra, auxiliado por Marco Vieira e Valdemar Maia.

Lusitânia Lourosa: Wilson, Carvalho, Gil Dias, Ministro, Diogo Cunha (‘70 Paulo Tavares), Goba Zakpa, Vitinha, Paulo Grilo, Serginho (‘87 Hélder Castro), Léo (‘111 Dinis) e Júlio Alves (‘65 Jaime Poulson).

Famalicão: Vaná, Lionn, Guga, Fábio Martins, G. Assunção, Riccieli (‘45 Patrick William), D. Gonçalves (‘91 Ruben Lameiras), Nehuen Perez, Toni Martinez (‘67 Anderson), Josh Tymon, Racic (‘83 Pedro Gonçalves).

Disciplina: Riccieli (‘2), Júlio Alves (‘9), Diogo Cunha (‘22), Gil Dias (‘48), Diogo Gonçalves (‘77), Patrick William (‘80), Vitinha (‘94), Dinis (‘114), Carvalho (‘118 e ‘120).

Golos: Anderson (‘70), Goba (‘90)

Rita Pereira / Lourosa