«A qualidade dos jogadores que acreditam e trabalham diariamente. Percebem cada vez mais a ideia do jogo. O Portimonense bateu-se bem, valorizou muito a nossa vitória, mas deve-se à nossa capacidade individual e coletiva. Antes quando não ganhávamos fazíamos grandes jogos, mas é natural que seja mais valorizado quando há vitórias. Estamos a construir uma Académica vitoriosa e com grandes perspetivas para o futuro»

[esta vitória não foi obra do acaso]

«Não é obra do acaso, sempre disse que estávamos mais perto de ganhar do que continuar a perder. Os jogadores sempre acreditavam no que se fazia, acredito muito em mim e na minha equipa técnica. Nunca arranjei desculpas quando as coisas corriam mal, agora é momento de festejar, mas na segunda-feira trabalhar de novo, temos um jogo muito complicado com o Penafiel»

«Fui sempre dizendo que era uma fase [mau início de época], que as coisas iam passar, sabíamos que era importante para os adeptos e para nós, mais competição e minutos. Nunca fomos os mais fracos como agora não somos os melhores, eu acredito muito neste grupo. Eles próprios sabiam que era uma questão de as coisas correrem melhor. Agora, se nos distrairmos corremos o risco de voltar a perder, estamos no início. Temos agora de começar a conquistar pontos, não nos escondemos, sabemos que não estamos na posição que queremos»

[tem o sonho de ir ao Jamor?]

«Eu levo muito jogo a jogo, até pelas dificuldades que tivemos no início da época, fomos percebendo que tem de ser jogo a jogo. Se me perguntam se acredito em ir ao Jamor, depende de muita coisa, até do sorteio. Eu acredito que sim. Enquanto estivermos na prova vamos lutar até ao último minuto para o conseguir, mas também sabemos que temos de chegar lá acima, porque a Académica é um clube de primeira, não de segunda»