Hugo Falcão, treinador do Sintrense, analisa a goleada sofrida frente ao FC Porto, na terceira eliminatória da Taça de Portugal (0-5):

«É uma vitória justa do FC Porto. Estivemos bem na primeira parte, a defender. Sabíamos que o processo seria maioritariamente defensivo. Na segunda parte a diferença foi enorme. O FC Porto continuou a acelerar, e nós não conseguimos dar resposta. Aproveitámos para dar oportunidade a toda a gente, era importante. Fiquei feliz durante a primeira parte, conseguimos anular algumas iniciativas do FC Porto, que fez poucos remates, mas a eficácia foi total. Na segunda parte essa superioridade ficou vincada e não há discussão sobre o mérito da vitória.»

«Não conseguimos fazer o que fazemos no campeonato. O FC Porto foi competente na forma como nos abafou e criou dificuldades. Tentámos sair duas ou três vezes, e com erros. Fizemos um jogo mais simples e mais direto, nem sempre bem definido no último passe. É importante perceber a diferença entre Liga e Campeonato de Portugal. Vamos evoluir nesse sentido.»

[sobre o impacto do primeiro golo] «Relativamente ao golo sofrido, ainda vou analisar. Não sei se o meu guarda-redes é mal batido ou não. Foi o primeiro remate e deu golo, o que emocionalmente não é bom, mas a equipa até reagiu bem. Ao intervalo disse aos jogadores para se focarem naquilo que podiam fazer na segunda parte. Conseguimos fazer o que nos deixaram fazer. Saio feliz. O grupo sai daqui mais forte. Foi a primeira derrota da época e acredito que vamos perder poucas vezes até final da época.»

[como encontrou os jogadores, no final do jogo?] «Muito cansados. Ainda vamos analisar os dados de GPS, mas de certeza que foi o jogo em que correram mais, em que não definiram tão bem. O maior respeito que o FC Porto teve por nós foi apresentar uma equipa competente, sem grandes alterações. Em termos emocionais agora têm e voltar à terra. »

Nuno Travassos