A Samsung Electronics pediu hoje desculpa aos trabalhadores que contraíram cancro e outras doenças graves nas suas fábricas de semicondutores, pondo fim a uma década de conflitos no maior fabricante mundial de 'chips'.

O anúncio do gigante sul-coreano de tecnologia surge uma semana depois das associações que representam as vítimas e os familiares terem chegado a um acordo de compensação com a empresa, através de um mediador.

"Pedimos sinceras desculpas aos trabalhadores e às famílias dos trabalhadores que desenvolveram doenças", afirmou o administrador executivo da Samsung, Kim Ki-nam, acrescentando que o grupo "falhou na gestão dos riscos de saúde" dos funcionários.

De acordo com as associações, 320 pessoas que trabalhavam nas fábricas de produção de 'chips' e ecrãs destinados a telefones e televisores do gigante eletrónico desenvolveram doenças raras devido às condições de trabalho. Dos 320 trabalhadores afetados, 118 morreram.

Nos termos do acordo, anunciado no início deste mês, a empresa irá pagar uma indemnização até 150 milhões de won (116,3 mil euros) por cada vítima.

O caso sensibilizou a opinião pública sul-coreana e internacional quando, em 2007, uma trabalhadora de 23 anos morreu de leucemia e a família deu início a uma longa batalha judicial contra a empresa.

O pai da vítima é um dos rostos e o representante das famílias que há uma década insistem na responsabilização da gigante sul-coreana.

"O pedido de desculpas, honestamente, não foi suficiente para as famílias das vítimas, mas vamos aceitá-lo", afirmou Hwang Sang-gi.