Conhecido pelos desaparecimentos de barcos e aviões, o “Triângulo das Bermudas” – a zona de cerca de 500 km2 entre Miami, Porto Rico e Bermudas – intriga cientistas e curiosos há décadas. Agora, um grupo de meteorologistas propõe uma teoria que pode resolver o mistério daquela zona, onde já se despenharam 75 aviões e afundaram centenas de barcos e navios nos últimos 100 anos, causando a morte a pelo menos 1.000 pessoas.

Imagens de satélite de grande parte da vasta área de oceano revelaram buracos com forma hexagonal entre as nuvens, o que suscitou curiosidade num grupo de meteorologistas da Universidade Estatal do Colorado.

Não é comum verem-se linhas direitas nas nuvens. Na maioria das vezes, a [forma] é aleatória”, afirmou Steve Miller, meteorologista de satélite, em entrevista ao programa “What on Earth”, do canal Science.

Intrigados, decidiram investigar com radares o que se passa diretamente por baixo destes estranhos buracos. O grupo descobriu que os ventos ao nível do mar atingiam velocidades perigosas, capazes de criar ondas superiores a 13 metros.

Como escreve o The Independent, os cientistas acreditam que estes buracos hexagonais funcionam como “bombas de ar”, capazes de gerar ventos até 270 km/h, o suficiente para derrubar aviões e barcos facilmente.

São essencialmente bombas de ar. (…) São rajadas de ar que partem debaixo das nuvens e atingem o oceano. [O ar] cria ondas que podem ser gigantes (…)”, explicou, por sua vez, o metereologista Randy Cerveny.