A empresa britânica Ellipsis Earth criou uma forma de ajudar a limpar o planeta com recurso a drones. Através de um software de reconhecimento de imagem, a empresa consegue identificar o tipo e tamanho do plástico e em alguns casos consegue identificar a marca ou a origem do lixo. Os microplásticos, por serem tão pequenos, ainda não conseguem ser detetados com esta tecnologia.

Podemos descobrir que a 'Praia X' tem uma tonelada de redes de pesca e armadilhas de lagosta, enquanto a 'Praia Y' tem uma tonelada de toalhitas de higiene", relata Ellie Mackay, fundadora e CEO da Ellipsis.

Para estes dois cenários existe uma solução: “Para o cenário da Praia X, precisamos de falar com a indústria piscatória e regulamentar o despejo de redes, enquanto para a Praia Y temos que educar as pessoas para não deitar coisas pela sanita abaixo", explicou Ellie Mackay à CNN.

Este projeto nasceu em 2019 e já realizou vários projetos em todo o mundo. A Ellipsis com sede em Sorrento, Itália, observou o lixo das beatas de cigarro e realizou uma campanha para a colocação mais estratégica de caixotes de lixo e cinzeiros em toda a cidade. Segundo a Ellipsis, a campanha conseguiu reduzir 70% do lixo dos cigarros.

A utilização de imagens aéreas para mapear a poluição plástica não é nova. Richard Thompson, professor de biologia marinha, recorda que antes dos drones, os cientistas já enviavam balões com câmaras para tirar fotografias aéreas das praias. Mais recentemente, a Agência Espacial Europeia utilizou satélites para identificar a poluição do plástico.

/ IC