O grupo farmacêutico AstraZeneca defendeu, esta quinta-feira, a eficácia da sua vacina contra a covid-19 em pessoas com mais de 65 anos, contrariando a recomendação alemã de ser apenas usada na faixa etária dos 18 aos 64.

As últimas análises (...) apoiam a hipótese de uma eficácia da vacina no grupo de maiores de 65 anos", declarou um porta-voz do grupo farmacêutico britânico-sueco, indicando se espera uma decisão da Agência Europeia dos Medicamentos "nos próximos dias".

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, cujo país aprovou o uso da vacina, inclusive para os idosos, sublinhou que a autoridade britânica para os produtos de saúde considerou a vacina "muito boa e eficaz" e que oferece "um elevado grau de proteção".

A Comissão de Vacinação alemã indicou, esta quinta-feira, não recomendar a vacina da Astrazeneca para pessoas com mais de 65 anos, devido à falta de dados sobre os mais velhos.

No aviso precisa-se que os dados disponíveis atualmente são "insuficientes para avaliar a eficácia das vacinas além dos 65 anos".

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 2.176.000 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.608 pessoas dos 685.383 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

/ NM