O aquecimento global pode ter um maior reflexo no aumento da temperatura nas grandes cidades do que no resto do mundo. O fenómeno pode fazer com que a temperatura média nas cidades aumente 8 graus Celcius até 2100.

O aumento da temperatura pode ter consequências nefastas para a saúde dos habitantes das grandes cidades. Asma e bronquite são algumas das doenças que poderão ter maior incidência nos centros urbanos.

A revista Nature Climate Change  foi responsável pelo estudo que concluiu que da subida de 8ºC, 5ºC serão devido ao aquecimento global. Estes valores serão o pior resultado possível, mas não é de todo improvável, basta que as emissões de dióxido de carbono não estagnem. 

A restante subida, 3ºC, será devida ao efeito de "ilha de calor urbano". Este fenómeno ocorre quando parques, represas e lagos, responsáveis pelo arrefecimento, são substituídos por cidades e asfalto tornando as cidades mais quentes.

O estudo da revista, liderado por Francisco Estrada, conclui que o aquecimento urbano pode fazer com que as cidades percam entre 1,4% e 1,7% do PIB por ano até 2050 e entre 2,3% e 5,6% até 2100. Para uma cidade desfavorecida, as perdas poderão chegar a 10,9% do PIB até 2100.

"O top 5 [das cidades por população] poderá ver aumentos de temperaturas de cerca de 8º Celcius ou maiores", disse Francisco Estrada

Para combater este fenómeno os responsáveis do estudo afirmam que é necessário “plantar mais àrvores e criar espaços verdes”. A colocação de telhados e pavimentos de refrigeração podem também fazer a diferença e limitar o aquecimento urbano.

As cidades cobrem 1% da superfície terrestre, mas consomem 78% da energia produzida em todo o mundo. Os grandes centros urbanos são responsáveis por 60% das emissões globais de dióxido de carbono, proveniente da combustão de energias fosseis.

Na cimeira do clima de Paris, em 2015, os estados adotaram i objetivo de limitar o aquecimento global médio a 2º Celcius. No estudo mais recente, os investigadores usaram dados das 1.692 maiores cidades do mundo no período compreendido entre 1950 e 2015.