A Google suspendeu todos os negócios que exigem a transferência de produtos de hardware e software com a Huawei, depois de Donald Trump ter colocado a empresa chinesa na lista negra. Segundo a Reuters, mantêm-se apenas aqueles que estão cobertos por licenças de código aberto.

Assim, a Huawei deixa de ter acesso às atualizações do sistema operacional Android. Além disso, a próxima versão de seus smartphones fora da China perderá acesso a aplicações e serviços populares, incluindo a Google Play Store e o Gmail, adianta a mesma fonte. 

No entanto, a Huawei continua a ter acesso à versão do Android disponível através da licença de código aberto. Mas a Google deixará de fornecer suporte técnico e colaboração para os serviços do Android e da Google para a Huawei, refere ainda a Reuters.

A decisão da Google acontece depois de Donald Trump ter declarado “emergência nacional” e emitido uma ordem executiva a proibir as empresas americanas de usarem equipamentos de telecomunicações de empresas estrangeiras consideradas de risco.

Para além da Google, os principais fabricantes de processadores, como a Intel, Qualcomm, Xilinx Inc e Broadcom, já informaram os seus funcionários que vão deixar de fornecer equipamentos à Huawei até nova ordem em contrário, avança a Bloomberg.

O Departamento do Comércio colocou também a Huawei na “lista negra” dos Estados Unidos, o que poderá impedir as empresas norte-americanas de venderem os seus produtos à gigante chinesa. Na prática, esta decisão exige que as empresas norte-americanas obtenham licença para vender tecnologia crítica à Huawei.