Uma start-up norte-americana está a desenvolver um avião que poderá fazer a viagem entre Londres e Nova Iorque em apenas 90 minutos. Atualmente um avião comercial faz esta viagem em aproximadamente sete horas.

A Hermeus anunciou que esta poderá ser a aeronave mais rápida do mundo, atingindo a chamada Mach 5, a velocidade que é cinco vezes superior à velocidade do som. A empresa parece já ter encontrado o investimento necessário com a participação da Khosla Ventures, uma empresa de capital de risco especialista na aposta em start-up’s.

É esperado que o jato atinja os 3.300 quilómetros por hora na sua velocidade de cruzeiro, comparando com os atuais 890 quilómetros por hora que um avião comercial efetua.

A Hermeus está a desenvolver uma aeronave que não só melhora a experiência da aviação reduzindo os tempos de voo, como também tem um grande potencial de impacto social e económico”, disse o fundador da Khosla Ventures, ciatdo pela CNN.

Da empresa criadora do projeto fazem parte antigos membros das empresas aeroespaciais SpaceX e Blue Origin, detidas por Elon Musk e Jeff Bezos, respetivamente.

O presidente da Hermeus, AJ Piplica, confirmou estar “entusiasmado” com o projeto, afirmando que é uma revolução na aviação comercial.

A Hermeus junta-se assim a outras empresas que pretendem criar um avião supersónico, como são os casos da NASA e da Lockheed Martin. 

Recorde-se que em tempos existiu o Concorde, um avião supersónico que fazia a viagem entre Paris e Nova Iorque em cerca de três horas e meia. A aeronave construída em 1976 viria a ser descontinuada em 2003, depois de graves problemas, que inclusive levaram os Estados Unidos a proibir o avião em solo americano. O elevado som que emitia e as dificuldades de viabilidade económica foram algumas das razões que fizeram cair o Concorde. A razão final terá sido um acidente em 2000, que vitimou 113 pessoas quando o Concorde se incendiou na descolagem.