Uma equipa de cientistas russos anunciou ter encontrado um tipo completamente novo de bactéria durante uma expedição no lago subglacial de Vostok, no sul da Antártida, informa a Agência Lusa.

As amostras obtidas no lago subterrâneo em maio de 2012 continham uma bactéria que não se assemelhava a qualquer uma já existente, disse o cientista russo Sergei Bulat à agência de notícias russa RIA Novosti.

«Depois de colocar de lado todos os possíveis elementos de contaminação, foi encontrado ADN que não coincide com qualquer um dos tipos já conhecidos. Trata-se de uma forma de vida não classificada e não identificada», afirmou Bulat.

Esta descoberta surge após terem sido recolhidas amostras numa expedição em 2012, na qual a equipa russa perfurou quase quatro quilómetros para chegar até ao Lago Vostok, que terá estado coberto por gelo durante mais de um milhão de anos.

Bulat afirmou que novas amostras de água seriam trazidas do Lago Vostok durante uma nova expedição em maio.

«Se encontrarmos o mesmo grupo de organismos na água podemos dizer com certeza que encontrámos nova vida na Terra nunca antes catalogada», acrescentou Bulat.

A exploração de locais como o Lago Vostok permite aos cientistas descobrir que formas de vida podem existir nas condições mais extremas e, desta forma, descobrir se pode existir vida noutros corpos do sistema solar.