A baleia azul, o maior animal vertebrado do mundo, que pode atingir mais de 30 metros de comprimento, só começou a crescer num passado recente, há cerca de dois a três milhões de anos.

De acordo com uma investigação do Museu Nacional de História Natural de Washington, Estados Unidos, só muito recentemente as baleias se tornaram animais com a envergadura que têm hoje.

Num estudo publicado na revista Proceedings of the Royal Society B (a série B é que publica investigações da área da biologia), o curador do museu para a área dos fósseis de mamíferos marinhos, Nicholas Pyenson, em conjunto com colaboradores de duas universidades norte-americanas, traça a evolução do tamanho das baleias ao longo de 30 milhões de anos e diz que as baleias muito grandes apareceram há "apenas" dois ou três milhões de anos.

O aumento das placas de gelo no hemisfério norte nesse período deverá ter afetado a forma como o alimento das baleias se distribuía no mar e aumentou os benefícios de possuir um corpo grande, concluíram os investigadores.

O que levou as baleias a crescerem tanto tem sido um mistério até agora, em parte por ser difícil de interpretar um registo de fosseis incompleto. Nas palavras de Nicholas Pyenson não se pode medir o comprimento de uma baleia que está representada por um pedaço de fóssil.

Recentemente Nicholas Pyenson estabeleceu que a largura do crânio da baleia era um bom indicador do tamanho total. O museu de história natural tem as maiores e mais ricas coleções de crânios de baleias, de espécies atuais, o que permite fornecer dados para examinar as relações evolutivas de diferentes baleias.

Os investigadores mediram uma grande variedade de crânios fósseis da coleção do museu, e com dados adicionais estimou o comprimento de 63 espécies de baleias extintas. A análise incluiu espécies ancestrais da baleia, com mais de 30 milhões de anos, mas também dados sobre 13 espécies de baleias atuais.

E os dados, disse, mostram claramente que as grandes baleias que existem hoje não estavam presentes na maior parte da história das baleias. “Vivemos num tempo de gigantes”, disse um dos investigadores, Jeremy Goldbogen, da Universidade de Stanford, acrescentando que as baleias nunca foram tão grandes como hoje.

A mudança evolutiva terá ocorrido no início da idade do gelo e, de acordo com a explicação apresentada no estudo publicado hoje, deveu-se a alterações climáticas que também mudaram o alimento das baleias, que se concentrava nas zonas costeiras e aumentava sazonalmente.

As baleias, pela forma como se alimentam, filtrando pequenas presas, estavam bem equipadas para tirar proveito das grandes concentrações de comida.