Mais de seis mil jovens, entre os 19 e os 23 anos, poderão ir à Web Summit por nove euros, ou seja, por 1% do valor habitual dos bilhetes, através de uma campanha apelidada de Inspire Portugal (Inspirar Portugal).

Lançada pelo primeiro-ministro, António Costa, e pelo fundador e presidente executivo do evento internacional de inovação e empreendedorismo, Paddy Cosgrave, a campanha destina-se a “jovens empresários, estudantes e sonhadores”.

As inscrições no 'site' da organização vão garantir bilhetes para as palestras do palco principal da Web Summit, existindo mais de dois mil bilhetes por dia entre 8 e 10 de novembro.

Estamos espantados com a quantidade de jovens incríveis que falam da Web Summit. Eles estão tão entusiasmados e já inspirados. Se eles são o futuro de Portugal, então o futuro de Portugal é brilhante”, comentou o ‘patrão’ da Web Summit.

Porém, o responsável disse ter conhecido muitos jovens que não conseguem ir ao evento por terem perdido a oportunidade de se inscreverem como voluntários ou porque não podem pagar 900 euros por um bilhete.

Eu senti tanto a sua paixão, como o seu desapontamento. E, por isso, começámos a pensar: o que pode a Web Summit fazer pelos jovens empreendedores? Estivemos a trabalhar com o primeiro-ministro e acreditamos que temos uma solução”, concluiu Paddy Cosgrave, que especificou que serão atribuídos 2.016 bilhetes diariamente para o MEO Arena. "Serão oito horas de oradores que vão inspirar, diariamente, durante os três dias”, resumiu o irlandês, notando estar em causa mais de cinco milhões de euros.

Os candidatos à iniciativa terão a hipótese de garantir bilhetes para um dia com acesso restrito ao palco central.

PSP de Lisboa garante segurança e reforço de agentes à civil

O comandante metropolitano da PSP de Lisboa assegurou esta quarta-feira que a cidade vai ter um "aumento visível" de elementos policiais durante os três dias da Web Summit, com reforço especial de agentes à civil.

Sem adiantar o número do contingente policial destacado para a cidade durante os dias do evento (7 a 10 de novembro), o comandante Jorge Maurício garantiu que o reforço será visível.

O comandante falou aos jornalistas durante uma visita do secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, aos serviços de transporte, segurança e saúde na zona adjacente à MEO Arena e à FIL, onde decorrerá a Web Summit.

Tendo em conta a dimensão do evento, (…) a PSP montará um dispositivo de segurança centrado na prevenção e proatividade, recorrendo a polícias do Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade, a Equipas de Trânsito, da Brigada de Prevenção Criminal, a Equipas de Intervenção Rápida, a Equipas de Prevenção e Reação Imediata e à Unidade Especial de Polícia", lê-se num comunicado disponibilizado aos jornalistas.

Jorge Maurício lembrou que a polícia está preparada para o bom e o mau que vem deste tipo de eventos de grande dimensão e assegurou que vai haver vários agentes à paisana, muitos deles à noite.

Garantidamente que vamos ter mais gente à civil. Já dei ordens na Divisão de Investigação Criminal para reforçar o efetivo", afirmou.

O superintendente-chefe Magina da Silva acrescentou que a PSP tem 22 mil agentes e que, embora não possa avançar com o número de efetivos que estarão destacados para a segurança de Lisboa durante a Web Summit, tranquilizou: "Podem ficar descansados que vamos ter polícias que cheguem".

"O processo de planeamento, até ao dia 7, é dinâmico. Nos grandes eventos desta natureza, ate ao último dia está-se a fechar quem vem e quem não vem, por isso não vale a pena falar em números", acrescentou.

Durante a visita, o secretário de Estado João Vasconcelos afirmou que está tudo preparado para receber a Web Summit.

"Por todos os planos de contingência que temos, entendemos que sim, que temos infraestruturas capazes de receber as 50 mil pessoas", disse.

João Vasconcelos lembrou que este evento é de uma "dimensão que não é habitual" e, por isso, constitui um grande desafio para a cidade e para o país.

Este é o primeiro ano. Todos os detalhes que achámos que era para reforçar, reforçámos. Há vários desafios e outros que vamos aprender no primeiro dia e no segundo dia e melhorar para o ano. A Web Summit vai ficar para já por mais três anos e pode ficar ainda mais dois anos e há um trabalho com a organização para nos irmos preparando e preparar a cidade para isto", acrescentou.

O secretário de Estado da Indústria sublinhou ainda o trabalho desenvolvido com a emissão de vistos.

"O desafio dos vistos, que muitas vezes é ignorado, está a ser superado. Vêm milhares de pessoas de fora do espaço Schengen e tem corrido muito bem, num trabalho de centenas de pessoas", contou.

O governante indicou também que a ANA-Aeroportos de Portugal reforçou o apoio, através de uma zona de registo dos participantes que será colocada fora do aeroporto, numa tenda própria, com acesso sinalizado para os transportes.

Os portugueses já perceberam a importância deste evento e estão todos preparados para o receber", frisou.

O secretário de Estado mostrou-se "orgulhoso" por receber o evento e reconheceu que esta primeira edição da Web Summit é um "teste" no qual o Governo quer passar com sucesso.

É um teste, mas é um teste sério. É a imagem do país que está em causa e da cidade. Queremos que seja um teste sem falhas", disse João Vasconcelos.

Durante a Web Summit são esperados mais de 50 mil participantes, de mais de 150 países, mais de 20 mil empresas, sete mil presidentes executivos e dois mil jornalistas.