A Boeing está de olhos no futuro e o futuro é hipersónico. O supersónico já era, agora a multinacional norte-americana projetou um avião de passageiros para viajar a 6500 km/hora, cinco vezes a velocidade do som.

Isto significa que uma viagem entre Nova Iorque, nos Estados Unidos, e Londres, no Reino Unido, pode ser encurtada para duas horas.

O primeiro avião de passageiros hipersónico foi apresentado na terça-feira, em Atlanta, durante a conferência do Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica (American Institute of Aeronautics and Astronautics no original), que decorre até sexta-feira.

"Acabámos de anunciar um novo veículo hipersónico, um projeto que um dia pode redefinir a aviação e ligar o mundo com uma rapidez nunca vista", escreveu no Twitter o CEO da Boeing, Dennis A. Muilenburg.

“Estamos entusiasmados com o potencial da tecnologia hipersónica”, disse Kevin Bowcutt, cientista-chefe do departamento de hipersónicos da Boeing, na nota de imprensa divulgada pela empresa.

Mas não se entusiasme tanto quanto os criadores.

É que o Boeing hipersónico não passa de um projeto a que a realidade só dará forma dentro de 20/30 anos.