Cientistas conseguiram criar aquilo que é o primeiro híbrido entre um porco e um macaco. A experiência, que foi conduzida na China, pode ser importante para o crescimento de órgãos humanos dentro de animais, que poderão depois ser transplantados.

Para chegar a este animal, foram necessários mais de quatro mil embriões para criar porcos bebés. Os embriões foram geneticamente modificados para crescerem com órgãos que têm genes de macacos. Assim, os corações, fígados, baços, pulmões e pele têm a genética de macacos.

Esta é a primeira vez que se chega a uma quimera de termo completo", afirmou Tan Hai, do laboratório responsável pelo estudo, em declarações à New Scientist.

A experiência acabou por resultar no nascimento de dois exemplares, que acabaram por morrer uma semana depois, ainda que parecessem saudáveis à nascença.

Apesar da morte dos animais, este pode ser um primeiro passo dado pela ciência para tentar misturar ADN de animais, o que pode mais tarde ser aplicado na saúde humana.

Segundo um neurocientista de uma universidade canadiana, esta era uma experiência perigosa: "Começarmos a manipular funções vitais desta forma sem sabermos reverter os efeitos assusta-me", afirmou em declarações ao Metro.