Uma equipa de investigadores da Universidade de Tel Aviv e do centro médico Shamir, em Israel, afirma ter encontrado uma forma eficaz de travar o envelhecimento celular.

Num artigo publicado esta quinta-feira na revista científica Aging, os cientistas asseguram que os tratamentos com oxigénio puro no interior de câmaras hiperbáricas podem travar o envelhecimento das células sanguíneas em adultos saudáveis. 

O estudo revela ainda que este tratamento pode, inclusive, “reverter o processo de envelhecimento, de forma a que as células entrem em processo de rejuvenescimento à medida que a intervenção médica é aplicada”.

Especificamente, os investigadores descobriram que um único protocolo de tratamento de três meses com oxigénio dentro de uma câmara de pressão é capaz de interromper completamente dois dos principais processos associados ao envelhecimento: o encurtamento dos telómeros, localizados nas extremidades dos cromossomas, e a acumulação de células velhas - ou de células que deixaram de cumprir a sua função - no corpo.

Os telómeros são estruturas que protegem a integridade estrutural dos cromossomas e situam-se nas extremidades dos mesmos, agindo como as pontas duras dos atacadores de um sapato. Com o passar dos anos, estas estruturas ficam cada vez mais curtas até desaparecerem, provocando o desmembramento dos cromossomas.

Para concluírem a eficácia do método de tratamento, os investigadores israelitas concentraram-se nas células imunológicas obtidas do sangue dos pacientes e descobriram que, após o tratamento, os telómeros não só não encolheram, como aumentaram em até 38%. Por outro lado, foi registada uma queda de 37% no envelhecimento celular. 

Durante muitos anos, a nossa equipa tem se dedicado à pesquisa e à terapia hiperbárica. As nossas conquistas ao longo dos anos incluem um melhoramento das funções cerebrais danificadas pela idade, por derrame ou lesão cerebral”,  explica Shai Efrati, coautor da investigação.

A terapia hiperbárica consiste na realização de tratamentos baseados em protocolos de exposição ao oxigénio de alta pressão, em várias concentrações, dentro de uma câmara de pressão. 

O estudo contou com a exposição de 35 adultos saudáveis - com mais de 64 anos - a uma série de sessenta sessões hiperbáricas durante um período de 90 dias. Cada participante forneceu amostras de sangue antes, durante e no final de cada sessão, além de outra amostra algum tempo após completar o tratamento completo.